INEGI

Espaço Associado

INEGI - Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial

A contribuição Portuguesa para o Novo Atlas Europeu do Vento – projeto NEWA 

 

O projeto NEWA (New European Wind Atlas), baseado nas melhores competências na modelação dos escoamentos atmosférico em conjunto com as melhores práticas na utilização de dados observados, deverá vir a constituir-se como uma ferramenta chave não só para o setor da energia eólica mas também para as autoridades públicas e agentes de decisão, através da redução global das incertezas associadas à determinação das caraterísticas do vento. Os resultados do projeto NEWA devem ainda contribuir para a melhoria de modelos de dispersão de poluentes na atmosfera, para o estudo da progressão de fogos florestais e para a criação de novos modelos de decisão para a operação, em terreno montanhoso, de aeronaves, tripuladas e não tripuladas, entre outras aplicações.

 

Para o efeito, são conduzidas diversas campanhas de medição em terrenos de diferente tipologia das caraterísticas do vento para aferição dos modelos de simulação e introdução de potenciais melhorias.


A campanha com mais recursos envolvidos, foi a campanha de medições de caraterísticas atmosféricas em curso na Serra do Perdigão, Vila Velha de Ródão, conduzida com a coordenação técnica do INEGI– associado da APREN - beneficiando da extensa experiência deste instituto no planeamento e condução de campanhas desde 1991.


Em particular, a campanha experimental na Serra de Perdigão decorreu com uma extensão e detalhe sem precedentes, conforme atestam alguns dos grandes números que lhe estão associados: até meados de 2017, operaram, entre outros equipamentos, 50 torres com altura entre 10 e 100 m de altura, equipadas para a medição de várias grandezas atmosféricas, cerca de 30 equipamentos de deteção remota tecnologia LIDAR numa dupla cumeada cobrindo uma área com cerca de 4 x 3 km2.


O objetivo é a caraterização do escoamento atmosférico em terrenos complexos, coligindo informação de suporte à melhoria dos modelos de simulação, permitindo assim uma melhor seleção de locais para a instalação de aerogeradores, quer do ponto de vista do rendimento da conversão energética quer das condições de funcionamento e vida útil, entre outras contribuições para o desenvolvimento da indústria da Energia Eólica.


Para além do INEGI, a experiência tem a participação de várias instituições nacionais, FEUP, IPMA e LNEG, e de mais 18 parceiros europeus e norte-americanos, instituições de referência no estudo das condições de vento e da física da atmosfera.

 

A experiência mereceu já a atenção de diversos meios de comunicação, tais como a revista Nature e o jornal Público.

 

Para o sucesso da campanha foram essenciais a colaboração da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, assegurando a comunicação com a comunidade e instituições locais e cedendo meios humanos e materiais para a instalação dos equipamentos, a abertura dos proprietários para a instalação dos equipamentos nos seus terrenos e a disponibilização de recursos vários por associações locais e empresas como a GENERG, EDF-EN, EEVM, Eólica da Boneca, Portugal Telecom e DST.


Descubra mais sobre a campanha de Perdigão no documentário aqui disponível.

Anúncios